18 de setembro de 2018
  • 10:05 Conheça o projeto mini gentilezas!
  • 09:36 A importância da diversidade nas organizações
  • 17:34 O mercado de trabalho e os profissionais na maturidade
  • 17:38 O papel do RH na transformação digital
  • 16:30 Protagonismo do RH na era digital

Fazer um processo de recrutamento e seleção eficiente significa muito mais do que conseguir o profissional certo para uma determinada vaga. Um procedimento adequado na escolha do novo colaborador pode se traduzir em menos gastos para a empresa, já que falhas na contratação trazem diversas consequências negativas para o negócio.

Com um cenário econômico que exige operações cada vez mais ajustadas, a redução de custos está sempre entre os objetivos das organizações de todos os segmentos. Por isso, neste post, nós vamos lhe mostrar 4 impactos financeiros que erros na contratação podem trazer para a empresa:

1. Custos com encargos trabalhistas

Contratar um profissional errado para uma determinada vaga vai acarretar possivelmente em uma demissão em curto ou médio prazo. Uma demissão envolve uma série de custos para a empresa, como pagamento de direitos trabalhistas e até indenizações decorrentes de processos abertos por funcionários, que se sentiram de alguma forma prejudicados.

Se os erros na contratação, e consequentemente as demissões por esse motivo, acontecem com uma certa frequência na companhia, isso pode acabar somando altos valores ao longo do tempo, trazendo prejuízos significativos para a saúde financeira do negócio.

2. Gastos com novos processos seletivos

Se o colaborador contratado de forma equivocada foi então demitido, o próximo passo é fazer uma nova seleção de profissional, o que novamente gera gastos para a organização.

Fazer uma nova seleção abrange desde valores menores, com postagens de novos anúncios da vaga, até custos ainda mais expressivos, com realização de determinados testes e entrevistas. Quando o processo envolve cargos em níveis executivos, como gerentes e diretores, os gastos podem até se multiplicar já que, muitas vezes, são necessárias despesas com viagens e hospedagem.

Isso sem falar nas horas da equipe de recursos humanos e da área requisitante, responsáveis pelo novo processo seletivo, além do tempo de trabalho gerado par a equipe pelo gap deixado pelo profissional que saiu.

3. Investimentos em treinamentos

Integrar um novo profissional demanda tempo e, normalmente, isso inclui conhecer a nova empresa, seus processos, sua cultura, diferenciais de mercado e produtos, etc., o que pode levar mais de 90 dias. Portanto, até estar em velocidade de cruzeiro, são gastas muitas horas em treinamento e desenvolvimento, não só do novo profissional, mas de todos aqueles envolvidos em sua preparação.

4. Perda de produtividade

Outro reflexo negativo de erros na escolha de profissionais é a perda de produtividade da empresa, considerada por 51% dos gestores brasileiros como o principal impacto de uma contratação equivocada.

Isso acontece porque, mesmo depois de todo o processo para a escolha do novo profissional e seu treinamento, quando ele assumir a função, seus resultados de produção não serão imediatamente com a melhor performance possível, afinal ele ainda está se ajustando ao trabalho e à empresa.

Também pode ocorrer perda de índices de produtividade durante o tempo em que a vaga fica em aberto, até que seja encontrado um novo profissional para desempenhar a atividade.

 

Medidas para mitigar erros na contratação:

Se as falhas na escolha do novo profissional podem trazer tantos impactos negativos, é importante evitar ao máximo que elas ocorram. Confira duas atitudes que podem ajudar:

1. Planeje o processo seletivo
A pressa é inimiga de perfeição neste caso. Gaste um pouco mais de tempo analisando e discutindo que tipo de profissional a sua empresa realmente precisa. Quais experiências anteriores são necessárias, quais as competências técnicas e dê atenção as competências sócio-emocionais. As empresas, normalmente, contratam por habilidade técnicas e depois demitem pelo comportamento.

Procure pensar sobre a cultura da sua empresa e que tipo de profissional vai agregar mais neste momento. Nem sempre o profissional mais qualificado é o melhor para a sua empresa. Às vezes, ter um perfil mais júnior, mas com mais disposição e engajamento, pode ser melhor do que contratar um profissional super capacitado, mas para qual sua empresa não delegará autonomia, por exemplo, gerando frustração.

As questões subjetivas como essas precisam ser analisadas, pois elas são a chave para uma contratação mais assertiva.

2. Garanta uma boa integração e invista no desenvolvimento do novo contratado
Os primeiros 100 dias de um profissional no novo emprego são cruciais. Receba bem seu novo contratado, cuide de sua acomodação na empresa, certifique-se que ele tem todos os instrumentos e seja conhecedor dos processos necessários para fazer bem seu trabalho.

Invista na facilitação do relacionamento dele com todos outros funcionários que interagem com ele regularmente, pares, subordinados e líderes, bem como os demais steakholders.

Acompanhe o novo contratado com mais frequência nos primeiros meses, dê feedbacks, avalie, elogie. Investir na pessoa que está entrando sai muito mais barato do que contratar uma nova.

Entendeu como errar na contratação pode trazer impactos financeiros diretos no seu negócio? Gostou do texto? Então compartilhe em suas redes sociais e deixe aqui também seus comentários sobre o assunto!

Paulo Sérgio de Souza Corrêa

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT