21 de setembro de 2019
  • 15:53 A ESPECIALIZAÇÃO NOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE EXECUTIVOS
  • 16:39 COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS PARA SE DESTACAR NO MERCADO DE TRABALHO
  • 17:26 EMPLOYER BRANDING: A FORÇA DA MARCA EMPREGADORA
  • 16:24 MELHORES ATITUDES NA ENTREVISTA DE EMPREGO PARA POTENCIALIZAR NOVAS OPORTUNIDADES
  • 14:49 O FUTURO DO TRABALHO E A GESTÃO DE PESSOAS

Os processos de seleção de nível executivo ocorrem de forma diferenciada no mercado. Em geral, esses profissionais não aplicam para determinadas vagas, mas sim são buscados pelos headhunters quando já estão em posições solidificadas. Como então atrair esses profissionais de cargos executivos para que eles participem dos processos seletivos? Nestes casos, a especialização dos serviços agrega valor ao processo e garante a presença de pessoas altamente qualificadas.

Vanessa Venceslao, com mais de 10 anos de experiência como headhunter na empresa e agora como nova sócia da KeepTalent, diz que neste tipo de trabalho é preciso oferecer um pacote mais completo, que inclui o conhecimento de verticais de negócio, entendimento dos desafios do cliente e de sua cultura organizacional, além de contar com uma sólida network. “Fazer seleção quando se tem bons currículos é fácil, o que diferencia quando você vai abordar um profissional, é o conhecimento que você vai agregar para ele durante este processo de seleção”, afirma Vanessa.

Para isso, ela considera essencial mergulhar no negócio do cliente. O que significa entender faturamento, posicionamento de mercado, quem são os concorrentes, os principais players, como se comunica com a comunidade dele, e a diferença da transformação daquele profissional dentro daquela área para o negócio. “Isso fez com que em algum momento, quando eu fosse entrevistar um executivo eu também agregasse informações para ele e agregasse informações para a empresa”, complementa.

Conhecimento de verticais

Vanessa explica que na KeepTalent, um grande diferencial na hora de atender um cliente é o conhecimento da consultoria em verticais específicas, como Têxtil, Tecnologia da Informação, Financeiro, Varejo, Saúde, entre outras. “Quando vou discutir com um candidato a gerente comercial, eu não falo só de comportamento hoje, eu vou falar como ele faz o acompanhamento das metas dele, como alinha a gestão da área às estratégias da empresa, que KPIs apresenta como follow up de seu trabalho, como ele divide as ações na semana e no mês. Como gerencia a equipe, como desenvolve e como engaja no propósito da empresa. Isto traz uma segurança na seleção para o cliente, uma assertividade no processo muito maior do que só falar de comportamental ou histórico profissional.”

Além disso, é importante focar na cultura da empresa durante o processo seletivo. Às vezes o profissional vem da mesma vertical de negócio, mas não consegue se adaptar à cultura da empresa. Ele pode vir do mesmo segmento de negócio, mas a empresa de onde ele vem é muito diferente. “Na seleção, se você não conhece bem a cultura da empresa, o profissional não vai ficar, não vai casar, mesmo que seja um excelente executivo. Quando a gente mergulha na cultura da empresa, em termos de modelo de gestão, de movimentação, de posicionamento, de estrutura, isso faz com que a gente possa apresentar esse perfil mais completo para a empresa”, explica a gestora da KeepTalent.

Contratações mais assertivas

Este trabalho mais especializado no processo seletivo minimiza contratações erradas. Segundo Vanessa, pesquisas mostram que um avaliador acerta uma análise de perfil somente em 14% com entrevista, mas que esse valor pode subir para 50% com o uso de uma entrevista estruturada ou ferramentas de avaliação.

O modelo desenhado na KeepTalent é olhar por uma entrevista por competência bastante estruturada, aplicar ferramenta de avaliação e poder ter também um olhar de conhecimento de negócio. “Com isso é possível ter uma maior assertividade no processo e esse é um diferencial nosso”, finaliza Vanessa.

Após 10 anos ajudando a construir a identidade da KeepTalent no mercado, Vanessa Venceslao se torna sócia da empresa. “Sempre fiz o meu melhor na minha atuação na Keep. Aceito esta sociedade como um reconhecimento do meu trabalho e como um grande desafio. O olhar do sócio precisa ser mais sistêmico, entender e se envolver no todo, na gestão do business, no branding, na melhoria dos processos e na evolução dos negócios e esta experiência certamente enriquecerá minha trajetória. “

Quer mais detalhes sobre um processo de seleção especializado? Entre em contato e fale com os especialistas da KeepTalent.

Paulo Sérgio de Souza CorrêaPaulo Sérgio de Souza Corrêa

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT