18 de agosto de 2019
  • 16:39 COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS PARA SE DESTACAR NO MERCADO DE TRABALHO
  • 17:26 EMPLOYER BRANDING: A FORÇA DA MARCA EMPREGADORA
  • 16:24 MELHORES ATITUDES NA ENTREVISTA DE EMPREGO PARA POTENCIALIZAR NOVAS OPORTUNIDADES
  • 14:49 O FUTURO DO TRABALHO E A GESTÃO DE PESSOAS
  • 08:34 ASSESSMENT: FERRAMENTA FUNDAMENTAL PARA GESTÃO DA CARREIRA

A era digital está causando impacto em uma série de profissões. Algumas deixam de existir completamente e outras passam por processos de transformação. Estas mudanças trazem redesenhos de processos e exigem por parte dos profissionais outras abordagens, habilidades e conhecimentos diferenciados.

Sempre foi importante passar por processos de qualificação e requalificação ao longo da vida profissional. Mas agora, o conceito de Lifelong Learning, ou seja, aprender sempre de forma continuada, torna-se ainda mais necessário. É preciso internalizar que, no mundo atual, com a velocidade de mudanças, é fundamental aprender, reaprender e estar em constante atualização e desenvolvimento.

Não importa qual é a sua profissão ou cargo atual, se você é um advogado, médico, engenheiro, vendedor, gerente, trainee, assistente administrativo ou um empreendedor. Existe uma gama de competências necessárias para qualquer profissional que queira se destacar e estar preparado para o mercado, seja como empreendedor, autônomo ou empregado.

Estas competências são as chamadas competências transversais. Elas têm esse nome porque podem ser utilizadas nas mais diferentes áreas e vão junto com o profissional de um emprego ao outro, de um cargo ao outro, de uma profissão para outra, e não perdem valor, sempre agregam.

Apesar da importância atual, ainda são projetados pouco tempo e esforço para o desenvolvimento das competências transversais. Na maioria das vezes, na formação dos profissionais, seja ela na faculdade ou na empresa onde atuam, o foco está nas habilidades técnicas e no conhecimento do processo do trabalho e ferramentas.

Uma lista de competências transversais

Abaixo elencamos algumas das competências transversais que têm sido inclusive citadas em listas de perfis de profissionais do futuro, como as competências requeridas pelo Fórum Econômico Mundial.

• Autoconhecimento
• Conhecimento do outro
• Capacidade de cooperação
• Gestão de pessoas
• Esperteza com o digital
• Resolução de problemas complexos
• Criatividade e reinvenção
• Capacidade política para acomodar interesses divergentes
• Gestão de projetos
• Lógica e pensamento analítico
• Capacidade de negociação
• Senso crítico
• Análise e tomada de decisão
• Flexibilidade cognitiva
• Inteligência emocional

Como desenvolver as competências transversais?

Os exemplos não se esgotam na lista acima, mas já servem para que você possa fazer uma autoanalise e partir em direção ao aperfeiçoamento. Você não precisa dominar todas as competências, mas certamente pode melhorar muito cada uma delas em si mesmo se parar, analisar e buscar mais informações.

O primeiro passo é justamente buscar seu autoconhecimento. Já parou para pensar o que limita você como profissional, onde podem estar os gargalos que impedem seu crescimento? Quais suas forças e o que expande você? Consegue ter uma noção de como as pessoas ao seu redor lhe enxergam e avaliam? Quais os desafios profissionais que podem usar melhor suas competências estabelecidas?

Existem várias maneiras de buscar esse desenvolvimento. Um bom ponto de partida pode ser a aplicação de testes preditivos de comportamentos, como por exemplo, PPA DISC, MBTI ou Quantum. Outra forma é ter a orientação de um coach, que com um trabalho bem feito pode trazer excelentes resultados. É importante buscar feedback constante, ter um mentor. Participar de grupos de estudos, muita leitura, vídeos e palestras. Existem muitas informações disponíveis hoje em dia, de fontes confiáveis e fáceis de serem acessadas de qualquer lugar.

Pense sobre o assunto, procure informações, troque ideias, viaje, amplie seu universo de contato e suas áreas de interesse. Faça benchmarking, mindfullness, conecte mais com o mundo, procure desenvolver uma visão mais sistêmica do negócio onde está inserido e da sua comunidade. Cultive uma abertura para o pensamento diferente do seu. Não existe inovação sem diversidade cognitiva.

A escritora Carol S. Dweck, no seu livro Mindset – a nova psicologia do sucesso, aborda dois diferentes tipos de perfis, os de mindset fixo, que acreditam que nasceram com determinadas qualidades e limitações e pouco podem fazer para mudar isto, como num jogo de cartas marcadas; e os de mindset flexíveis, que acreditam que, com esforço e dedicação, podem melhorar e por isso mesmo estão abertos a novos aprendizados.

Há um mundo novo a ser explorado e você pode achar novos desafios que lhe motivem a outras buscas, seja na sua carreira atual, seja numa nova empreitada, empreendendo, mudando de trabalho, revendo seu modelo mental, sua forma de viver.

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com outros profissionais em suas redes sociais.

Paulo Sérgio de Souza Corrêa

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT