19 de junho de 2019
  • 16:24 MELHORES ATITUDES NA ENTREVISTA DE EMPREGO PARA POTENCIALIZAR NOVAS OPORTUNIDADES
  • 14:49 O FUTURO DO TRABALHO E A GESTÃO DE PESSOAS
  • 08:34 ASSESSMENT: FERRAMENTA FUNDAMENTAL PARA GESTÃO DA CARREIRA
  • 08:03 VOCÊ SABE QUAIS SÃO SEUS PONTOS FORTES E FRACOS EM UM PROCESSO SELETIVO?
  • 16:21 O PAPEL DO LÍDER NA RETENÇÃO DE TALENTOS

Quem tem ampla experiência na área de Gestão de Pessoas sabe muito bem que o líder direto é uma das variáveis determinantes para que os profissionais permaneçam nas organizações, independentemente até das condições de trabalho.

Muitos dizem que a empresa é muito boa, mas o gestor direto é péssimo e este é o motivo da saída. Outros dizem que o local não é aquilo tudo, mas a liderança é tão inspiradora e cativante que eles acreditam e querem ficar.

Algumas pessoas chegam a continuar suas carreiras em empresas praticamente falidas porque ainda acreditam no líder, sentem-se seguros, e apesar da situação, conseguem ver alguma perspectiva positiva pela frente, por meio do olhar de sua liderança.

Por outro lado, muitos talentos deixam empregos porque seu líder direto não converge com seus anseios, não comunica, não tem empatia, não apoia seu desenvolvimento e, principalmente, não se envolve.

Isto mostra que o líder tem papel fundamental na retenção dos talentos. Afinal, é ele que convive com os demais profissionais no seu dia a dia, que conhece (ou deveria conhecer) as características de cada um e seus objetivos. É aquela pessoa que pode ajudar a estimular os talentos a buscarem seu crescimento profissional dentro da empresa.

Muitas excelentes empresas perdem um grande número de colaboradores ano após ano e nem se dão conta que esta debandada de gente, cujo custo, de contratação, treinamento e desenvolvimento, é gigantesco, simplesmente acontece porque o líder não foi capaz de agir adequadamente no seu papel.

Investimento na liderança

Investir na liderança da empresa é necessidade premente e constante. É preciso falar de liderança, é preciso ensinar liderança, é preciso reciclar líderes. Isto porque todas as equipes de hoje são muito diferentes das equipes de cinco anos atrás. O mercado muda, a tecnologia muda e o desenvolvimento do líder também precisa acompanhar e mudar.

Muitos líderes ainda nem perceberam que está em suas próprias mãos o gerenciamento dos talentos. Ainda consideram que isso é uma tarefa somente da área de Recursos Humanos ou Gestão de Pessoas. Mas para ser um bom líder é primordial saber gerenciar os talentos. Esta habilidade deve fazer parte do pacote completo! Não adianta somente entender do seu setor específico como Produção, Vendas ou Finanças. Se você é um gestor e não sabe como lidar com pessoas, precisa correr atrás e buscar isso o quanto antes.

Técnicas e instrumentos

O desenvolvimento de liderança pode ser feito ensinando muitas técnicas e instrumentos, que ajudam na gestão das pessoas e dos processos e auxiliam significativamente o líder na sua tarefa diária. Alguns exemplos são:
– Feedback com CNV (Comunicação Não Violenta);
– Resolução de conflitos;
– Gerenciamento de projetos;
– Avaliação de desempenho;
– Coaching e
– People Analytics.

Mas é importante lembrar que, mais do que técnica, tem muito de sentimento, de verdade, de querer realmente o melhor para o outro, e de se dedicar. Você se lembra dos seus melhores professores? Certamente sua memória vai resgatar a imagem não do mais bonzinho, permissivo ou que lhe deu as melhores notas. Mas sim um professor que, mesmo sendo enérgico, era correto, com quem você aprendia e em quem você confiava.

O papel essencial do líder é servir. Entender isto derruba metade da arrogância e da prepotência que o poder do cargo pode trazer consigo. Um líder servidor está à disposição do liderado e não o contrário. Ele lê as demandas profissionais e pessoais de cada um e apoia todos.

Um líder interessado, busca conhecimento para si mesmo, porque sabe que precisa estar forte para poder servir a sua equipe. Traz consigo um sentimento de pertencimento, dá sentido a ação, mostra propósito e assim, engaja e cria sinergia para geração de valor.

Tem fórmula mágica? Não. Mas olhar pra dentro de si e ver através dos seus sentimentos o outro, mostrar interesse genuíno e buscar seu aperfeiçoamento constante, pode ser um grande passo para exercitar uma liderança melhor e, com isto, ajudar a reter os talentos que fazem a sua empresa acontecer.

Você concorda que o líder direto é fundamental para a continuidade do profissional na empresa? Deixe sua opinião aqui nos comentários.

Paulo Sérgio de Souza Corrêa

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT