26 de novembro de 2020
  • 16:58 AS VANTAGENS DOS TESTES PSICOMÉTRICOS NO RECRUTAMENTO
  • 10:24 LIDERANÇA AMBIDESTRA E OUTRAS COMPETÊNCIAS DO LÍDER DO FUTURO
  • 10:04 COMO BUSCAR RECOLOCAÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO DURANTE A PANDEMIA
  • 12:10 AS 10 HABILIDADES PROFISSIONAIS MAIS EXIGIDAS NA ATUALIDADE
  • 12:38 CEO DA KEEPTALENT É NOMEADO EMBAIXADOR DA DCH NO BRASIL

O atual ambiente de negócios tem mudanças cada vez mais frequentes e velozes. As empresas precisam se transformar constantemente para permanecerem competitivas no mercado. Não é possível controlar as tendências que estão remodelando o mundo e os negócios, mas podemos controlar como reagimos a elas, e isto faz total diferença no sucesso ou fracasso da sua organização. Nesta realidade com tantos desafios torna-se fundamental o papel do líder. É preciso rever seus comportamentos, obter novas competências e aprender novas formas de liderar.

Um modelo de liderança muito abordado atualmente é a liderança ambidestra. Este artigo publicado pela Deloitte mostra que pesquisas acadêmicas indicam que a liderança ambidestra está positivamente associada ao desempenho da empresa, melhorando os resultados tanto em negócios em estágios iniciais quanto naqueles já consolidados. Também define a ambidestria como a capacidade de otimizar as operações do modelo de negócios atual e ao mesmo tempo redefinir esse modelo, assumindo riscos e buscando inovações.

Na questão da liderança, o significado é o mesmo: unir dois modelos, a eficiência e a criatividade. Este conceito criado pelo ex-CEO da GE, Jeff Immelt, une essas duas competências, que em princípio podem parecer difíceis de caminhar juntas, para criar um ambiente de inovação e ao mesmo tempo continuar atendendo de forma eficaz a demanda já estabelecida.

Pode parecer simples mas não é. Normalmente, o criativo é mais bagunçado e menos propenso a seguir processos, o que, em tese, o deixa mais livre para inovar. Já o eficiente tende a ser organizado, analítico, com facilidade de monitorar e controlar, afeito a processos e regras, o que de certa forma engessa a liberdade e inibe a criatividade.

O perfil de liderança que mais confortavelmente lida com criatividade e inovação precisa estar atento que sem uma boa dose de racionalidade e estruturação para levar a cabo o novo invento e a ideia pode morrer antes mesmo de nascer. Não basta uma boa ideia na cabeça. É preciso executá-la e neste sentido deve se cercar de instrumentos e pessoas que possam cobrir esta deficiência.

Já o líder eficiente na execução precisa estar aberto a aprender novos jeitos, ter curiosidade para outros cenários, do contrário correrá um grande risco de fazer com muita eficiência um processo que ninguém mais valoriza. Isto implica dedicar um tempo para ver outras realidades, conversar com pessoas diferentes, experimentar, aceitar o erro como um modelo para aprendizado.

Em ambas as situações vai requerer do indivíduo plasticidade para sair da sua zona de conforto e explorar novas possibilidades que não são comuns no seu jeito preferencial de ser. Isto gera desconforto e dá trabalho, mas acredite, pode lhe dar um belo par de asas e com ela a possibilidade de ver o mundo de um jeito como você nunca viu.

Obviamente, ser um líder ambidestro vem somado a outras habilidades fundamentais de liderança. Este artigo destaca outras três competências fundamentais do líder da atualidade:

– a gestão humanizada, que implica em lembrar sempre que você está lidando com pessoas e não com peças de uma estratégia corporativa, por isso precisa saber escutar, se colocar no lugar do outro e se comunicar de maneira não violenta e assertiva.

– a análise de dados para tomada de decisão, afinal, um líder por incumbência da própria posição precisa fazer escolhas, cada vez mais rápidas e certeiras, e assim transmitir mais segurança e confiança para sua equipe.

– e ainda a capacidade de ser embaixador da cultura organizacional, considerando que o líder é essencial para disseminar os valores da empresa e garantir que eles sejam praticados.


Além de tudo isso, ainda podemos dizer que o líder do futuro precisa ter um mindset diferenciado. Deve ser curioso, com uma mente aberta e voltada para o crescimento. Também precisa ter flexibilidade e resiliência para lidar com as mudanças e se adaptar às novas realidades.

Para terminar, é importante sempre lembrar que tudo aqui descrito não vale apenas para quem tem um cargo formal de liderança. Um líder é aquele que estimula e inspira outras pessoas e isso muitas vezes independe da real função da pessoa dentro de um organograma de empresa.

Gostou do artigo? Para mais dicas, acesse as redes sociais da KeepTalent.

LinkedIn   Facebook   Instagram 

Paulo Sérgio de Souza CorrêaPaulo Sérgio de Souza Corrêa

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT